Saiba como escolher as melhores redes sociais para divulgar seu e-commerce

Ver, gostar, clicar, comprar — toda essa facilidade aumenta a quantidade de adeptos ao e-commerce a cada dia. Porém, da mesma forma que a rede atrai consumidores de diferentes localidades, ela oferece uma grande concorrência. Para se destacar, é preciso investir na divulgação do negócio. Você sabe quais são as melhores redes sociais para fazer isso?

Se você já entendeu a importância desses meios para conquistar clientes, mas ainda não sabe como utilizá-los, esse post vai te ajudar. Nele, nós vamos conversar sobre a capacidade que as redes sociais têm de impulsionar o seu negócio, mas também vamos tratar da parte prática.

Então, prepare-se para aprender como aplicar esses recursos para divulgar os seus produtos. Vamos começar?

1. A importância de usar as redes sociais para divulgar um e-commerce

Investir na criação de uma loja virtual é uma opção vantajosa, que expande a área de influência de um comércio e captação de clientes para muito além de sua localização geográfica.

Portanto, em vez de investir em um estabelecimento que capta os clientes do bairro, região ou cidade, o empreendedor tem a possibilidade de atrair consumidores de localidades distantes. Dessa forma, ele alcança outros mercados sem empregar recursos na abertura de novas unidades.

Porém, da mesma forma que o empreendedor pode alcançar um mercado infinito com seu e-commerce, ele encontrará uma grande concorrência. Isso acontece porque, da mesma forma, o consumidor tem inúmeras lojas virtuais disputando sua atenção e seu dinheiro. Diante desse cenário, como se destacar da concorrência?

Pense que, se você estivesse falando de um comércio convencional, seria importante investir em uma boa vitrine para atrair o cliente para dentro de sua loja, certo? Mas, dessa forma, seu negócio seria procurado apenas por pessoas que eventualmente passassem por aquele local.

Para trazer o visitante até a sua loja, o que você faria? Provavelmente, distribuiria panfletos e flyers nos locais frequentados por essas pessoas — escritórios, outros pontos comerciais, consultórios e estabelecimentos que atraem o mesmo público que você deseja.

Dependendo do porte do seu comércio, outra opção seria investir em anúncios. Rádio, revistas e jornais locais ou de grande alcance, outdoors, faixas anunciando promoções etc.

Todas essas ações têm um aspecto em comum: elas vão até o consumidor e se fazem presentes onde a vida deles, de fato, acontece. As ações de marketing para e-commerce têm um paralelo muito grande. Porém, elas acontecem no mundo virtual.

Assim como a fachada da sua loja deve ser atrativa, o e-commerce precisa ser convidativo para o cliente. Design leve e navegação intuitiva ajudam o consumidor a achar produtos com facilidade e encontrar outras opções que o agradam.

Mas lembre-se: o site corresponde à loja física. Não fique esperando que as pessoas simplesmente cheguem até ele. É preciso chamar a atenção e convidar o consumidor!

É justamente nesse aspecto que as redes sociais ganham importância. Se antes você encontrava seus clientes nos escritórios, consultórios, comércios e estabelecimentos afins, hoje é diferente: eles estão navegando pelas mídias.

Portanto, a atuação nas redes sociais é uma maneira de:

  • chamar a atenção para o seu negócio e levar a sua vitrine virtual — o site — até onde os consumidores estão;

  • criar um relacionamento com o consumidor, que vai curtir, comentar e compartilhar as suas postagens;

  • aproveitar essa interação com o consumidor para expandir o círculo de pessoas que conhecem a sua marca, à medida que ele compartilha seus conteúdos;

  • marcar uma presença virtual e conquistar credibilidade para sua marca;

  • ouvir e conhecer melhor o seu público-alvo, que expressará sua opinião por meio de comentários;

  • utilizar esse conhecimento para desenvolver produtos e coleções de acordo com as expectativas desse público, aumentando suas chances de aceitação e volume de vendas;

  • fazer com que o seu negócio apareça entre as primeiras posições nos mecanismos de buscas — isso é possível quando o público se engaja com seu conteúdo, ou seja, curte, compartilha e visita o seu blog, por exemplo;

  • tornar a sua marca uma referência no mercado;

  • lembrar ao consumidor que ele precisa comprar! Ele pode não ter a menor intenção de adquirir uma mercadoria no momento, mas se ele vir a sua publicação e gostar do produto, isso vai despertar o desejo e pode levar à compra;

  • fidelizar o cliente através desse relacionamento e sucessivas ofertas.

Como você pode perceber, o uso de redes sociais é fundamental para atingir o público-alvo e alavancar as vendas de um e-commerce. Quer entender melhor como esse recurso funciona? Então continue com a leitura!

2. Como escolher as melhores redes sociais para e-commerces de moda

Moda não envolve apenas a cobertura do corpo. Ela revela estilo, atitude e padrão de comportamento. Em outras palavras, a moda é a maneira mais efetiva de projetar uma imagem, e o apelo visual é de extrema importância.

Por isso, embora as redes sociais sejam importantes para a divulgação de negócios dos mais diferentes ramos, a moda é um segmento que pode se beneficiar de forma ainda mais significativa com a exposição por esses meios.

Nelas, a imagem é o grande chamariz. Não é incomum passarmos nosso feed adiante quando encontramos um texto grande, porém, as fotos e vídeos chamam nossa atenção e despertam interesse.

Como, então, escolher a melhor rede social para divulgar seu negócio? A resposta vai além das características da sua empresa — ela leva em consideração as características e hábitos do seu público-alvo.

Veja como fazer essa escolha:

2.1. Levar em conta o público e seus hábitos

Toda empresa tem um público-alvo no qual concentra seus esforços. Falando em moda, podemos dar uma série de exemplos.

perfil de consumidores de calçados da linha conforto será provavelmente muito parecido: mulheres um mais maduras, com uma carreira estável, que utilizam essas peças em seu ambiente de trabalho ou no dia a dia.

Possivelmente, esse mesmo público consumirá roupas mais formais. Grande parte de seu guarda-roupa será composto por peças clássicas como calças de alfaiataria, camisas, saias, blazers e outros itens utilizados no ambiente de trabalho.

Já quando falamos em um público jovem e descolado, os interesses são outros: peças casuais, calças e shorts, muito jeans, modelagens ousadas que apostam em uma exposição maior do corpo, entre outras características.

Porém, esse público é distinto não só nos produtos que consome. Ele também está em “locais” diferentes na internet. Eles podem utilizar redes sociais variadas ou, no mínimo, consomem conteúdos com características diversas.

Portanto, antes de iniciar uma ação de divulgação nas redes sociais, é preciso estudar esse público. Descubra a qual grupo pertence a maior parte dos seus clientes. Faça um levantamento para descobrir sua faixa etária, gênero, ocupação, renda média e estilo de vida: o que gostam e o que fazem.

Descubra também quais são os principais meios pelos quais eles consomem informação. Isso vai levá-lo a identificar a rede social onde eles serão achados e conquistados com mais facilidade.

2.2. Tipo de conteúdo que deseja divulgar

Depois de descobrir onde encontrar o seu público-alvo, é hora de definir o tipo de conteúdo que você vai publicar. Mais uma vez, não é o seu interesse que conta, e sim as necessidades dos consumidores.

É justamente nesse ponto que muitos comerciantes se perdem. Em vez de produzir conteúdo relevante, eles utilizam as redes sociais para exibir banners com propagandas de produtos e promoções.

O grande problema é que, devido ao bombardeio de propagandas na internet, os usuários desenvolveram uma espécie de resistência a esse tipo de iniciativa. Nossos olhos e cérebros aprenderam a ignorar esses anúncios, no que é conhecido no meio do marketing como “cegueira de banner”.

Estamos dessensibilizados a tal ponto em relação a essas iniciativas que nós nem os notamos mais. Nossos olhos simplesmente pulam essa espécie de publicação em busca de algo mais interessante.

Mas tão importante quanto o teor do conteúdo é a qualidade na execução. Imagens mal produzidas revelam falta de profissionalismo. Devido ao amadorismo, a empresa não consegue obter a credibilidade e alcance que poderia atingir com essas ações.

Portanto, antes de rotular uma rede social como improdutiva, é importante fazer a pergunta: o público que eu procuro utiliza esse meio? Estou oferecendo o tipo de conteúdo que ele procura?

Normalmente, os resultados negativos não são causados pelas características da rede social, mas por estratégia e abordagem equivocadas. 

3. Quais são as melhores opções de redes sociais para lojas virtuais

Então, que tal conhecer algumas características das redes sociais mais utilizadas para a divulgação de lojas virtuais? Assim, você entenderá qual público pode ser atingido por elas e o tipo de conteúdo para chamar a atenção dele.

3.1. Instagram

O Instagram é uma rede excelente para quem trabalha com negócios de forte apelo visual. Logicamente, isso inclui o segmento de moda. O Instagram não é utilizado para postar apenas texto: seu foco está em imagens e vídeos de poucos segundos.

Portanto, ele é perfeito para atrair aquele consumidor que “vê, ama e compra”. E se você acha que são poucos, esse público corresponde a 93% dos consumidores que adquirem produtos pela internet.

O Instagram ainda oferece a função stories, que é muito similar ao que acontece no Snapchat: o usuário tem a opção de postar fotos ou vídeos curtos, que ficam expostos por 24 horas e depois desaparecem.

Mas como utilizar o Instagram para divulgar o seu negócio? Devido ao forte apelo visual, o foco está nas imagens. Por isso, utilize-as para inspirar seus seguidores, divulgue fotos mostrando como combinar as peças para maximizar sua utilidade no guarda-roupa dos clientes.

Além dos vídeos curtos, você pode estabelecer links entre essas postagens e o seu blog, que pode ser alimentado com conteúdos mais completos e aprofundados.

3.2. Pinterest

Assim como o Instagram, o grande apelo do Pinterest é visual. Embora ela seja a rede menos conhecida pelo público em geral dentre as opções que mostraremos nesse capítulo, ela é bastante utilizada por jovens.

Nela, é possível publicar e pesquisar imagens, formando pastas. Uma de suas principais vantagens é que, ao lançarmos um termo nos mecanismos de busca, como o Google, aparecem muitos resultados de fotos presentes justamente no Pinterest. 

Essa rede também apresenta um botão na própria página, a partir do qual os interessados podem comprar os produtos. Portanto, ela já e feita com um apelo comercial.

Assim, se você publicar imagens com looks de peças de sua loja, seu perfil pode se tornar uma inspiração para as pessoas. Mais que isso, elas podem comprá-las por meio da própria rede.

3.3. Snapchat

Se o seu público-alvo é jovem, uma boa alternativa para atraí-lo é por meio do Snapchat. A maioria dos usuários dessa rede tem menos de 25 anos e ele se destaca por dar espontaneidade ao conteúdo. Nesse aplicativo, sua empresa pode enviar fotos e vídeos curtos que expiram em 24 horas (assim como a função stories do Instagram).

Esses vídeos curtos podem ser utilizados, inclusive, para criar promoções relâmpago — que duram o mesmo tempo de sua exposição — assim, seus clientes sentirão a necessidade de ficar “ligados” em seu Snap para não perder boas oportunidades.

Mas é importante seguir a ideia principal da rede: criar conteúdo divertido e irreverente, de acordo com as expectativas desse público. Essa forma de comunicação passa a imagem de uma marca jovem e ousada.

3.4. YouTube

O YouTube permite a divulgação de conteúdo audiovisual por meio de vídeos. Nessa mídia social, a palavra tutorial foi redefinida com sucesso. Nos canais do YouTube, é possível encontrar verdadeiros serviços de consultoria sobre os mais diversos temas, muitos deles relacionados à moda.

O e-commerce pode criar um canal, fazer sua própria programação e conquistar um público, como se tivesse uma emissora de TV à sua disposição. Por isso, da mesma forma que o Instagram, o YouTube pode ser utilizado para criar vídeos que dão dicas de moda ou respondam às dúvidas mais frequentes dos consumidores.

A diferença é que o YouTube não limita o tempo. Embora não seja recomendado fazer vídeos extremamente longos, eles podem ter um conteúdo um pouco mais extenso e aprofundado.

Outra vantagem do YouTube é que o visitante pode se tornar um assinante do canal. Assim, sempre que a sua loja divulgar um novo vídeo, seus seguidores receberão uma notificação, e muitos deles se tornarão espectadores assíduos.

Portanto, trata-se de um excelente meio de desenvolver um relacionamento com o consumidor, torná-lo um fã da sua marca e um potencial cliente.

3.5. Facebook

E o status de principal rede social do planeta pertence ao todo poderoso Facebook. Quase um terço da população global está conectada a essa rede, que possui mais de 2 bilhões de usuários. O Facebook permite que a sua empresa venda diretamente seus produtos ao público, faça anúncios, publique textos, imagens e vídeos, inclusive ao vivo (pela função live).

Por todas essas funcionalidades, para a maioria dos negócios, o Facebook pode ser a peça central da campanha direcionada às mídias sociais. Como já falamos, essa definição dependerá do seu público-alvo, mas devido ao seu grande alcance, a probabilidade de ele reinar entre os seus consumidores é grande.

O grande segredo é produzir conteúdo de qualidade e publicá-lo nos mais diversos meios: YouTube, Instagram e, principalmente, seu próprio blog. O Facebook se torna o motor principal de divulgação dessas peças, fazendo com que elas cheguem ao grande público.

Você também pode fazer algumas pequenas chamadas e colocá-las no Twitter, se você identificou que seus consumidores estão por lá. Mas lembre-se que elas devem conduzir sempre a algo maior, como o seu blog.

Mas como obter resultados com o Facebook? Como falamos no parágrafo anterior, você vai produzir imagens, vídeos e textos e centralizará a divulgação dessas peças no Facebook. As vantagens disso são:

  • Visibilidade: o Facebook é utilizado e consultado diariamente por um grande número de pessoas. Assim, se você postou um vídeo no YouTube ou um texto em seu blog, uma chamada nesta rede pode levar os usuários até ele, servindo como chamariz.

  • Alcance: quando gostam muito de um conteúdo que viram no Facebook, as pessoas costumam curtir, comentar e até mesmo compartilhar. Assim, sem investir nada a mais — o que chamamos de escalabilidade —, o seu conteúdo será visto primeiro pelos seus clientes ou amigos, depois pelos amigos deles e, finalmente, pelos amigos dos amigos deles. Entendeu? O círculo vai se ampliando e, para isso, você só precisa caprichar na qualidade das suas publicações.

  • Rankeamento: e não é só isso! À medida que os usuários curtem, comentam e compartilham seus posts, o Google “entende” que as pessoas estão falando de sua marca. Logo, ele a coloca entre as primeiras posições nos resultados de buscas. E qual é a vantagem disso para o seu negócio? Atualmente, 93% dos processos de compra começam com uma busca online e 75% dos usuários nunca passam da primeira página de resultados. Ou seja, estar entre os primeiros garante uma chance enorme de fisgar o consumidor! 

  • Relacionamento: quando as pessoas curtem e comentam seus conteúdos, elas esperam, na verdade, dialogar com a sua marca. Não perca essa oportunidade. Responda esses comentários de forma cordial ou espirituosa, de acordo com a imagem que quer transmitir. Além disso, em seus comentários, o seu público vai expressar suas expectativas. É uma forma praticamente gratuita de conhecer suas necessidades e atendê-los, gerando aceitação dos produtos e fidelização.

4. Como montar uma estratégia de divulgação nas redes sociais

Na internet, o conteúdo é rei! Por isso, ele precisa ser o foco de sua atenção. O consumidor não se interessará pela sua marca, a menos que ela ofereça o que ele deseja. Portanto, a estratégia deve levar isso em consideração. Vamos entender como isso acontece?

4.1. Tenha um blog

Atualmente, o blog é uma ferramenta poderosíssima para atrair clientes. No segmento de moda, ele precisa atender os anseios dos consumidores e tratar dos temas que interessam a ele. Fale das tendências atuais e como utilizá-las e exemplifique com imagens dos seus produtos. Esse é o conteúdo que você vai promover nas redes sociais.

Os temas podem ser os mais variados, de acordo com o nicho que o seu e-commerce explora:

  • como combinar estampas;

  • como utilizar uma peça para compor looks para os diferentes momentos do dia;

  • roupa mais adequada para situações diferentes — trabalho, entrevista de emprego, balada;

  • truques para favorecer a arquitetura corporal;

  • como montar um guarda-roupas versátil etc.

As opções são muitas e inspiração não falta! Com essa pequena consultoria de moda, você vai atrair mais seguidores, tornar a sua marca uma referência, criar um relacionamento com o consumidor e estimular as compras.

4.2. Atualize suas páginas

O perfil precisa não só ser criado, mas atualizado permanentemente. No começo, você pode não ver muitos resultados mas, com o tempo, ela terá mais conteúdo e se tornará uma referência.

A atualização confere mais credibilidade à marca e faz com que ela seja encontrada mais facilmente em mecanismos de busca. Além disso, se você criar um padrão de alimentação, seus seguidores ficarão aguardando essa novidade e procurarão pelo seu conteúdo.

4.3. Crie um padrão

O cliente sabe o que esperar de sua página? É importante que sim. Então, estabeleça um calendário e trabalhe a partir dele. Quer um exemplo?

  • Segunda-feira: comece a semana falando sobre uma tendência de moda.

  • Terça-feira: lance um post para coletar dúvidas dos consumidores. O que eles querem saber sobre moda? Anuncie que escolherá algumas perguntas para responder na quarta. Dessa forma, você incentiva o seu público a interagir com a página.

  • Quarta-feira: como você anunciou, é dia de consultoria. Faça um vídeo respondendo algumas daquelas perguntas. Se quiser inovar ainda mais, divulgue o horário e faça uma live. Se possível, sorteie um brinde para uma das perguntas.

  • Quinta-feira: pode ser o dia de tutorial de moda. Olhe os exemplos que já estão em canais conhecidos e inspire-se!

  • Sexta-feira: que tal alavancar as vendas do final da semana com uma promoção relâmpago? Divulgue a oportunidade no Instagram Stories ou no Snapchat e informe que ela vai durar até o vídeo expirar — ou enquanto durarem os estoques!

  • Sábado: convide seus clientes a enviar fotos dos looks que montaram com suas peças durante a semana e compartilhe alguns deles.

5. Como mensurar resultados

Uma das grandes vantagens de utilizar as redes sociais é a capacidade de mensurar resultados de forma simples. Então, vamos agora apresentar alguns dados que você pode analisar para avaliar a efetividade das suas ações em mídia digital:

5.1. Número de fãs

Não é a métrica mais importante, mas é uma forma de medir o desempenho da empresa na internet. O crescimento desse número mostra se a página está sendo atrativa e quantas pessoas estão visualizando suas publicações. Estabeleça períodos (30 dias por exemplo) para comparar os dados e analisar essa movimentação.

5.2. Engajamento

Os usuários não devem apenas ver o seu conteúdo, mas interagir com ele. Então, se as pessoas não estão curtindo, comentando ou compartilhando suas publicações, é hora de repensar a maneira como está falando com o público.

5.3. Alcance

É um resultado relacionado ao engajamento. Analise os números para saber quantas pessoas estão sendo impactadas pelo seu conteúdo em um determinado período.

5.4. Taxa de envolvimento

Esse cálculo leva em consideração o total de pessoas que teve acesso ao seu conteúdo e qual a porcentagem de engajamento obtido.

Assim, uma publicação que foi visualizada por 1.000 pessoas e obteve 15 interações (curtidas, comentários, compartilhamentos) tem uma taxa de envolvimento menor que aquela que teve 500 visualizações, mas 30 interações.

5.5. Engajamento de ação

Esse é o objetivo final da sua ação nas mídias sociais. Lembre-se de que o objetivo é levar as pessoas para o seu e-commerce. Então, essa métrica vai mostrar quantas pessoas visitaram o seu site a partir da sua publicação. Um exemplo seria: seu post teve 2.000 cliques e 150 desses visitantes foram parar em sua loja virtual.

E então, identificou as melhores redes sociais para divulgar o seu e-commerce? Quer descobrir outras estratégias para impulsionar o seu negócio? Então assine nossa newsletter e receba dicas e conteúdos indispensáveis em primeira mão, diretamente no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *